Doença Arterial Obstrutiva Periférica - Doença Aorto-ilíaca

DAOP Aorto-Ilíaco 

 

#Estudos epidemiológicos indicam que 5% dos homens e 2,5% das mulheres com idade acima de 60 anos irão sofrer de claudicação intermitente como resultado de estreitamento aterosclerótico ou oclusão arterial dos vasos dos membros inferiores

#Os sintomas de claudicação progridem vagarozamentena maioria dos pacientes onde 30 % necessitam de alguma intervenção e 20% evoluem com isquemia crítica 

#O mais alarmante é que estes pacientes possuem uma alta mortalidade cardiovascular quando comparados com aqueles que não possuem

#O tratamento dos pacientes com doença aorto-ilíaca é a redução da mortalidade cardiovascular, primeiramente através da terapêutica medicamentosa com AAS e clopidogrel, alívio dos sintomas e prevenção da evolução da doença através da revascularização

#Os pontos chaves do tratamento dos pacientes com doença periférica consistem na prevenção secundária através de exercícios que não sejam contra-indicados; cessação do tabagismo; antiagregaçãoplaquetáriae controle lipêmicopara redução dos riscos cardiovasculares.

#A revascularização , seja cirúrgica ou endovascular, é reservada para pacientes com sintomas refratários a terapêutica clínica

 

Resultado de imagem para angioplastia aorto ilíaca

 

 

No território aortoilíaco, um estudo randomizado, publicado em 2011, que comparou stent convencional com stent revestido; obtiveram-se resultados semelhantes entre pacientes com lesões TASC B (não havia pacientes com TASC A na casuística); para os pacientes com lesões TASC C e D, os resultados foram melhores naqueles em que foi usado stent revestido.(Fonte: Livro Cirurgia Endovascular e Angiorradiologia – Belczak. Editora Rubio, 2015).

 

 
 

Entre em contato

Preencha o formulário abaixo: